Reveillon de Petrolina: barraqueiros são usados como isca

Resultado de imagem para reveillon com traque

Você conseguiria imaginar o Réveillon na Orla de Petrolina ,  sem a queima dos fogos de artifício? Pois acredite, esse ano não vai ter! Nunca que a  Capital do São Francisco ficou sem a tradicional festa, e nunca que  um prefeito fez  um ato como esse. No entanto, o chefe do Executivo municipal eleito pelo povo em 2016, resolveu e não realizará o evento.

 

Depois de ter sido noticiado em toda imprensa do Vale do São Francisco a decisão de Miguel Coelho, o gestor  se incomodou, e para não voltar atrás com a  sua palavra de “REI”, resolveu usar de um paliativo, e em nota, disse que vai ajudar aos barraqueiros e ambulantes a realizarem o evento. No entanto, eles  (barraqueiros) é que  ficam responsáveis pela estrutura da festa, enquanto a prefeitura patrocinará duas atrações musicais, Guerber Pereira e Jonathan Araújo. Quanto vai custar essas duas atrações?

A desculpa

A prefeitura de Petrolina divulgou uma nota informando que não iria realizar o réveillon por causa da crise financeira. A gestão alegou que iria priorizar o pagamento de despesas, como o pagamento do 13º salário dos servidores.

Você já viu no que vai dar! As críticas, as coisas ruins,  certamente irão para a conta da Associação dos Barraqueiros. Eles não perceberam, mas estão sendo usados como isca, para que o executivo saia de fininho na situação. Se algo der errado, dirão que tentaram ajudar, mas que os barraqueiros foram incompetentes. E se der certo, eles dirão que deram tudo e que sabiam da competência dos barraqueiros. Cidades menores no Estado, vão realizar  festas grandiosas, já que a data pede comemoração. É uma pena, que uma cidade tão aclamada, seja destratada em uma época tão bonita. A festa da virada ( se é que podemos  chamar de festa)  será na porta do Rio. É esperar para conferir. Oremos para que tudo dê certo.

O costume

Há cerca de 1000 anos, os chineses, inventores da pólvora, passaram a usar tiros coloridos de morteiros para anunciar a vitória nas guerras. Aos poucos o costume foi levado também para a comemoração de Ano Novo, pois se acreditava que os fogos de artifício eram capazes de afastar o mal.

Outro costume chinês relacionado aos fogos de artifício nestas comemorações está na crença de que a pessoa responsável por soltar o primeiro dos fogos terá muita sorte durante o restante do ano.

Eu pergunto:

Você conseguiria imaginar o Réveillon na Orla de Petrolina ,  sem a queima dos fogos de artifício?

Eu respondo:

Pois acredite, esse ano não vai ter!

Sobre o autor

Cauby Fernandes
Cauby Fernandes

O blog @lingua tem a assinatura de Cauby Fernandes,Radialista/Comunicador Social com DRT-PE 3685. Cauby Fernandes também é Teólogo graduado em nível superior pela Faculdade Cenecista de Osório (FACOS). O Blog @ Língua tem parceiros importantes que fazem do blog uma ferramenta de informação precisa para todas as idades e tipos de pessoas.

Deixe uma resposta