Arquivo - 19 de Setembro de 2016

1
Professora Célia Regina se apresenta como bom nome para Petrolina

Professora Célia Regina se apresenta como bom nome para Petrolina

 

 

celia

Abandonando os formatos conservadores, a Professora Célia Regina, lançou seu nome para concorrer a uma vaga na Câmara de Vereadores de Petrolina. Confiante em sua competência e trabalhos prestados à sociedade, Célia Regina se preparou não apenas em termos de conhecimento da política com uma ciência social, mas também como  mulher que possa colaborar na melhoria da cidade e da vida dos seus munícipes.

Ela que levantou a bandeira de Educação com Cidadania, tem conversado com líderes, com professores, profissionais liberais e principalmente com as comunidades, para que seu nome seja um dos escolhidos para que um novo tempo de mudanças chegue à Casa Plínio Amorim.

Filiada ao PMDB, Célia Regina nunca foi candidata a cargo político eletivo, razão que eleva  seu  nome para escolha à  vaga de Vereadora em Petrolina.

Célia Regina é educadora  por formação  e vocação  e foi escolhida pelo Governo estadual à época,  para ser  diretora na primeira escola de referencia em Petrolina, a Escola Clementino Coelho, onde fez um excelente trabalho. O progresso da Escola e seus alunos  chamaram  a atenção do prefeito Julio Lossio,  que de pronto ,  a convidou para ser a secretária de educação, cargo que ocupou com maestria. Célia Regina com sua equipe,   transformaram a educação do município, fazendo  com que o IDEB do município  alcançasse posições nunca antes obtidas. Célia Regina também foi secretária de cidadania, onde também implantou diversos programas bem sucedidos que a elevaram ao patamar de excelência em gestão.

“Eu me sinto e estou preparada para fazer uma legislatura diferente das convencionais que hoje acontece no município. Minha bandeira sempre foi educação com cidadania, e tenho certeza que essa bandeira é a que fará mudanças no mundo todo, a começar pela minha cidade. Petrolina precisa de renovação e da força expressiva da mulher. Vamos à luta”, disse Célia Regina.

 

Por Cauby Fernandes