Sem celebração, PSDB completa 30 anos

Imagem relacionada

Não há o que comemorar!

Resultado de imagem para tucano tristeO presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, pré-candidato do partido à Presidência, enviou na última quarta-feira um breve comunicado aos integrantes da executiva tucana com três itens relativos à próxima reunião do grupo em Brasília, marcada para terça-feira. Entre eles, estava o convite para um “ato comemorativo” dos 30 anos de fundação da sigla. A ideia, dizem integrantes da cúpula, é fazer um evento discreto e fechado no salão de um hotel “só para a efeméride não passar totalmente em branco”.

Por mais que o discurso oficial diga o contrário, há consenso entre tucanos que não há motivo para celebrações. “É o momento mais difícil da história do partido”, reconheceu o deputado Nilson Leitão (MT), líder do PSDB na Câmara.

Em outra circunstância, o local escolhido seria o auditório Nereu Ramos, na Câmara. Foi lá que, no dia 25 de junho de 1988, os então senadores Mario Covas e Fernando Henrique Cardoso anunciaram diante de centenas de militantes eufóricos a criação do novo partido, ainda sem nome.

Trinta anos depois, a cerimônia fechada no hotel de Brasília ocorre no momento de uma nova onda de decepção popular com partidos e instituições, que desta vez atingiu em cheio o PSDB. “O momento é ruim para todos os partidos e para a política em geral. Há uma crise política sem precedentes”, minimizou o deputado Silvio Torres (SP), tesoureiro do PSDB.

Pré-candidato ao Planalto, Alckmin está estacionado nas pesquisas de intenção de voto com números que variam entre 7% e 10%, o pior desempenho de um tucano nesse período desde 1989. O ex-governador mineiro Eduardo Azeredo, que presidiu o PSDB, entrou para a história como o primeiro ex-presidente do partido preso, reforçando a crise da legenda e dificultando ainda mais o projeto de retomar o poder após 16 anos.

Tá feia a coisa.

Ver Postagem

Paulo Câmara é vaiado na festa de São João em Carpina

 

Governador Paulo Câmara e Fernando Monteiro

 

governador de Pernambuco, e pré-candidato à reeleição, Paulo Câmara, cumpriu nesse sábado (23) agenda marcando presença em alguns polos do São João de Pernambuco – em Limoeiro e em Carpina. Neste último, no entanto, Câmara foi recebido pelo público presente com intensa vaia. Os gritos contra a atual gestão estadual se estenderam por alguns minutos e o governador acabou se retirando do palco sem discursar.

Na comitiva que acompanhou o governador, estiveram presentes os deputados federais Fernando Monteiro e Luciana Santos; os deputados estaduais Aluísio Lessa e Vinícius Labanca e o chefe de gabinete, Gustavo Negromonte.

Para Fernando Monteiro, deputado federal pelo Partido Progressista (PP), as vaias não podem ser lidas como uma manifestação contra ninguém em particular. “Foram vaias para a política. O problema não é a vaia em si, normal em qualquer democracia. Grandes líderes já enfrentaram isso em algum momento de suas vidas. O que me preocupa, neste momento particular do nosso país, é que ela expressa a grave crise de representatividade que atravessamos, e isso atinge todas as esferas (Legislativo, Executivo e Judiciário)”, disse, em nota enviada à redação.

Segundo ele, as vaias foram uma ação isolada e não apagam tudo o que está sendo feito. “E há ainda muito a se fazer”, afirma. Monteiro é candidato à reeleição e tem entre suas bandeiras o desenvolvimento regional da Zona da Mata, Agreste e Sertão através de sua vocação econômica e cultural.

Confira o vídeo:

Ver Postagem

TCE: prefeitura de Petrolina não é vista como transparente em suas contas

 

Resultado de imagem para falta transparencia

princípio da transparência é pedra fundamental da Democracia e, no Brasil, sua aplicação à administração é um preceito constitucional. Dar transparência é mais que divulgar atos e gastos: é chamar a sociedade a participar das decisões da administração.Dos 184 municípios de Pernambuco, apenas dois apresentam um índice de transparência considerado “desejado” pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE): o Recife e Jaboatão dos Guararapes. Adicionalmente, é considerado “inexistente” o índice de transparência de três municípios do Estado: RibeirãoSanta Maria da Boa Vista e Tracunhaém. Para tentar reverter esse quadro, o TCE publicou no Diário Oficial da última quarta-feira,20, a Resolução Nº 33, que dispõe sobre a transparência pública e sobre o Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE), criado pelo Tribunal.

Marcos LoretoPara o presidente do TCE-PE, Marcos Loreto, “a resolução é uma ferramenta de grande importância no combate à corrupção, a partir do momento em que orienta os gestores e esclarece sobre os conceitos e aspectos legais que devem ser observados para assegurar a transparência pública”, avalia Loreto argumentando que com as regras, a expectativa é melhorar a disponibilização dos dados para o cidadão, que deverá ser feita de forma mais simples e acessível, até em termos de organização administrativa, forçando os órgãos públicos a terem um controle maior da qualidade dos dados fornecidos”.

A publicação da Resolução, todavia, é apenas parte de um importante processo em curso, iniciado em 2015, quando o Tribunal criou o Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco (ITMPE), inicialmente, para avaliar os sites e portais de transparência das 184 prefeituras pernambucanas e, desde 2017, também das câmaras municipais.

Em Petrolina, os sites da prefeitura e da Câmara deixam muito a desejar. O da Câmara não oferece nenhuma ferramenta fácil e transparente. O site da prefeitura é um site complicado difícil de encontrar o que se pesquisa.

Em 23 de julho, o Tribunal vai começar um novo ciclo de apuração do ITM. Em seguida,sairão os  resultados para que as prefeituras e Câmaras municipais possam prestar os esclarecimentos, depois disso será feita  uma reavaliação. Só depois disso o Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco  2018 vai ser divulgado.

“Com essa clareza, o cidadão tem condições de exercer melhor o controle social, acompanhar a gestão pública em sua cidade, avaliar a correta aplicação dos recursos públicos nas áreas essenciais, além de fiscalizar e denunciar o mau gestor”, finalizou Loreto.

Ver Postagem

Abandono: Pai de vereador petrolinense vive em extrema pobreza

Nos parecerá impossível imaginar que exista tanta distância econômica entre alguns politicos  e seus familiares. Muitos parlamentares tem familiares que vivem na extrema pobreza. Alguns destes , vivem de esmola, sobrevivem com R$ 40,00 por mês e tiveram que vender suas propriedades para subsistir.

O blog A língua vai revelar e  te apresentar umas destas histórias.  Aguarde na edição da quarta-feira, 27, onde te mostraremos o vídeo da casa onde vive esse pai abandonado.

Ver Postagem

Para não se indispor com eleitorado, Bolsonaro esconde propostas

Para não se indispor com eleitorado, Bolsonaro esconde propostas

A poucos meses das eleições, presidenciável segue repetindo que os seus planos serão apresentados ’em momento oportuno’

Resultado de imagem para Tô de olho gif com movimentoO candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL) não quer participar de debates no primeiro turno e se nega a discutir sua proposta de reforma tributária. Para o presidenciável, revelar o pacote de medidas econômicas elaborado pela sua equipe faria com que ele levasse “pancada por aí”.

A pouco mais de três meses das eleições, Bolsonaro está liderando grande partes das pesquisas, especialmente os cenários sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sem sequer expôr as suas propostas.

O candidato também tem entrado em desacordo com o seu braço-direito, o economista Paulo Guedes. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Guedes disse que Bolsonaro não quer se posicionar a favor de uma reforma na Previdência mais dura durante a campanha

“Pô, Paulo, você faz o que quiser depois, mas se eu fizer isso, nem chego lá. O Lula está falando que vai mexer na Previdência? O Alckmin?”, disse Bolsonaro, segundo Guedes.

O economista é cotado com o possível ministro da Fazenda do candidato. Guedes avisa que vai propôr corte de gastos e privatizações. “Se ele quiser, aprova. Se não aprovar, não vou.”

Ao invés de fazer um discurso que lhe renderia votos ou abrir o jogo sobre as suas propostas, Bolsonaro segue repetindo que os planos serão apresentados “em momento oportuno”.

Como analisado pela Folha de S. Paulo, fugindo de confrontos, Bolsonaro evita eventuais falhas e contradições, já que tem um número de votos suficiente para levá-lo ao segundo turno.

Ver Postagem

Mauro Carlesse é eleito o novo governador de Tocantins com 75% dos votos

Mauro Carlesse (PHS) e  Vicentinho Alves (PR) disputam o segundo turno do governo do Tocantins neste domingo
            Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR) disputaram o segundo turno do governo do Tocantins neste domingo
auro Carlesse (PHS) foi eleito governador do Tocantins neste domingo (24). Até o momento, 92% das urnas foram apuradas, e 75% dos votos válidos foram para ele, que já não pode ser alcançado por Vicentinho Alves (PR), com quem disputava o segundo turno.

Carlesse deve atuar no cargo até o dia 31 de dezembro e pode concorrer à reeleição para governador de Tocantins em outubro. A posse está prevista para o dia 9 de julho.

Após o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassar, em março deste ano, os mandatos de Marcelo Miranda (MDB) e da vice, Cláudia Lélis (PV), os eleitores do estado tiveram que decidir quem seria o novo governador do estado.

No primeiro turno, que aconteceu no dia 3 de junho, Carlesse conseguiu 30,3% dos votos, ante 22,2% obtidos por Vicentinho. Eleito presidente da Assembleia Legislativa em 2016, o candidato do PHS assumiu o governo de Tocantins após a cassação de Miranda e Cláudia por arrecadação ilícita de recursos para a campanha de 2014.

Carlesse disputou o pleito representando uma coalizão formada pelo PHS, DEM, PRB, PP, PPS, PMN e PTC. Paranaense, fez carreira como empresário no ramo agropecuário no Tocantins. Em 2014, foi eleito deputado estadual pelo PTB.

Vicentinho representa chapa formada pelo PR, PPL, PROS, Solidariedade e PMB. Ele é senador pelo estado desde 2011. O político ficou em terceiro lugar nas eleições de 2010, mas assumiu uma cadeira no Senado com a cassação de Marcelo Miranda (MDB) naquele pleito. Ele foi prefeito de Porto Nacional, deputado estadual, governador e deputado federal.

Eleições suplementares ocorrem também em outras cidades

Mais sete municípios realizarão eleições suplementares neste domingo, além do estado do Tocantins. Os eleitores de Santa Luzia (MG), Itanhomi (MG), Timoteo (MG), Cabo Frio (RJ), Rio das Ostras (RJ), Moju (PA) e Santa Cruz das Palmeiras (SP) voltarão às urnas, mas para eleger prefeitos e vice-prefeitos em substituição aos que foram cassados.

 

Ver Postagem

Desconfiança: festa cara afastou o potencial gastador do São João de Petrolina

 

Resultado de imagem para turista desconfiado gif com movimento

om preços exorbitantes cobrados no São João de Petrolina, o potencial gastador, ficou longe do evento promovido pela organização da festa. Petrolina e Juazeiro são conhecidas como cidades que cobram muito caro por shows que no Vale se realizam. Um exemplo claro disso, é que um ingresso cobrado em outras cidades em festas com Wesley Safadão, por exemplo, a variável usada, é de no máximo, R$ 50,00 em ingresso simples, a chamada de pista.Em Petrolina e Juazeiro, os empresários, geralmente cobram o preço menor , também na pista, R$ 80,00. A diferença é gritante.

Os organizadores do São João de Petrolina pecaram, e cresceram o olho, pensando que seria igual ao ano passado. E esqueceram que o turista que vem à cidade, é racional, e não  quer ver seu bolso sendo assaltado. Veio ano passado, mas se lembrou que é caro, e resolveu partir para outras festas de São joão.

Caruaru e Campina Grande que são os mais tradicionais  municípios que realizam a festa, aprenderam com os erros, e nos dias do evento, por exemplo, não se cobra taxa para se usar uma mesa. Claro, eles também tem espaços reservados. No São de Petrolina  teve gente surpreendida ao pedir a conta, pois nela estava lá: R$ 120,00 por um bistrô, fora o que consumiu. Beira o absurdo. Bistrô é aquela mesinha pequena alta, sem cadeiras.

Quem mais frequentou o São João de Petrolina, foram estudantes, turistas com renda inferior, pais e mães de família. A festa se elitizou, e com a elitização, os preços cobrados cresceram exponencialmente. Isso afastou as pessoas das barracas, e óbvio da compra direta.  A patrocinadora do evento, fez uma tabelização de preços nada agradáveis para quem estava no evento. Ruim para os comerciantes. Prejuízo.

O dinheiro que um turista gasta em dois dias no São João de Petrolina, daria pra curtir cinco dias em Caruaru ou Campina Grande. A prática do preço é outra nas duas cidades. Petrolina se amostra, acha que todos são ricos, o que na verdade não é verdade. Perdemos o gastador potencial. E a cidade pode perder mais. Se lá fora descobrirem as práticas  de comercialização  no evento, aí a festa vai para o paredão. Se uma pessoa arrotasse dentro do Pátio, era capaz de ser multada pela falta de educação. Tudo era cobrado. Estamos escrevendo esse exagero para que o leitor sinta que a coisa lá dentro estava não estava para brincadeira.

 

A marca do São João

A prefeitura mudou o nome de São João do Vale para São João de Petrolina. Muitos cidadãos , com a nova marca, não se sentiram representados. A marca São João do Vale, é mais inclusiva, remete aos municípios do Vale do São Francisco, é plural.

A organização do evento pecou e muito pecou! Foi uma festa linda, cheia de gente, mas que não consumiram , não gastaram. É preciso reavaliar.

 

 

Ver Postagem

Vereadora Cristina Costa demonstra ética na sua trajetória política

Resultado de imagem para Vereadora Cristina Costa

 

partido dos Trabalhadores em Pernambuco (PT) vem aos longos dos últimos meses trabalhando em torno de nomes que possam elevar o partido e trazê-lo de volta aos trilhos da confiabilidade. Como todo grande partido, o PT, faz avaliações de seus pretensos candidatos, suas atuações e principalmente a liderança que exercem em sua bases.

Um desses nomes avaliados (bem avaliados) é o da vereadora Cristina Costa, que para o partido, em sua estrada politica, tem demonstrado muita responsabilidade no que fala, como age e como interage com a população.

Cristina é daquelas vereadoras competentes, e que não somente fala, mas age. Ultimamente a vereadora vem trabalhando na pré- campanha de sua companheira de partido a também vereadora, Marília Arraes. Cristina Costa   tem a grande responsabilidade de manter vivo o sonho de Isabel Cristina, sua amiga que era deputada,  e que faleceu em 2016.

Isabel Cristina sempre foi exemplo de mulher séria e comprometida com as causas sociais, e Cristina Costa, tem colocado em prática tudo o que aprendeu com sua ‘professora’ e  sempre buscou decidir o que seria melhor para o PT.

A ética e a vontade de fazer as coisas do modo certo, é uma virtude que Costa carrega. Ainda que alguns tentem dizer ao contrário. Como já escrevemos, Cristina Costa é bem avaliada pelo Partido dos Trabalhadores e poderá em 2019, se consolidar como uma deputada atuante e destemida. Esperamos que sim. Nas vindouras eleições de 2018, Petrolina será conhecida também, como a terra que elegeu mais mulheres em uma eleição.

 

Ver Postagem

Barraqueiros amargam prejuízos no São João de Petrolina

Resultado de imagem para são joao de petrolina

 

orçados a pagar taxas de aluguel de R$ 28 mil Reais, os barraqueiros dizem que a grande marca dos festejos juninos de Petrolina deste ano será mesmo o “amargor”. O amargor de alimentos não vendidos, o amargor de bebidas não consumidas e o amargor das dívidas, inclusive a da taxa de uso das barracas, que eles já começam a somar e que vão lhe restar após o próximo dia 24, quando acaba o “O melhor São João de Petrolina” como anunciado no polo da festa.   Passado o ponto alto do turismo junino da Capital do Sertão, que teve o forró pé de serra afastado do Palco Central, quando a cidade  “ferve” de visitantes e turistas de todo o estado e de outros recantos do País, os barraqueiros contabilizam os prejuízos do que já é considerado o pior São João de todos os tempos em termos de vendas.

Uma comerciante que pediu para não revelar o nome temendo ser perseguido, coisa comum neste governo que se diz de um ‘Novo tempo”,  disse que depois de 9 dias de festa, inclusive do ponto alto (o dia da véspera do São João), só conseguiu faturar R$ 2,500,00 (dois mil e quinhentos Reais). Faturar, não lucrar. Os comerciantes que em outros anos conseguiam terminar a festa e garantir dinheiros para, pelo menos, os próximos 3 meses, reclamam da organização  e  de que não receberam um  bom tratamento por parte da prefeitura com aqueles que alugaram os espaços.

O fato podia muito bem ser constatado quando em pleno dia de uma mega atração no  São João  de Petrolina (22 de junho), se via barracas sem faturar, outras vazias  por falta de clientes, e olha  que quem estava no palco era Marília Mendonça. No entanto, mesmo com um  Pátio Ana das Carrancas com mais de 80 mil pessoas se divertindo, os barraqueiros e donos de restaurantes, não tiveram motivos para sorrir.

Os barraqueiros dizem que a grande marca dos festejos juninos de Petrolina deste ano será mesmo o “amargor”. O amargor de alimentos não vendidos, o amargor de bebidas não consumidas e o amargor das dívidas, inclusive a da taxa de uso das barracas, que eles já começam a somar e que vão lhe restar após o próximo dia 24, quando acaba o “O melhor São João de Petrolina” como anunciado no polo da festa. E que um novo tempo chegue!

 

Ver Postagem

A vida de João Campos se confunde com a de Eduardo Campos

 

Pablo Fernandes- Cientista Político

bisneto de Miguel Arraes de Alencar, João Campos desde cedo conviveu com nomes emblemáticos da política local e nacional. Campos é graduado em Engenharia civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

João Henrique Campos cruzou as portas do Palácio do Campo das Princesas em 19 de fevereiro 2016, sede do governo de Pernambuco, para o seu primeiro dia de trabalho como chefe de gabinete do governador Paulo Câmara (PSB). Em 1987, com os mesmos 22 anos, seu pai, Eduardo Campos, indicado pelo avô Miguel Arraes, então governador do Estado, fazia o mesmo caminho.

A nomeação do primogênito  do casal Campos, a um cargo no poder executivo mostrou a força e influência da família do ex-candidato à presidência da República, mesmo após o Brasil perder Eduardo Campos uma das mentes mais brilhantes da política nacional

João Campos, diferente do seu pai que foi tutelado no início da vida política de perto por Miguel Arraes, assume um cargo estratégico e de confiança de Paulo Câmara, sem precisar de indicação.  Ainda que muito jovem, se tornou o  responsável pelas articulações políticas dos  bastidores dentro da administração do Estado pernambucano.

Mais do que um primeiro emprego para  um jovem de um clã absolutamente político, a posição de João hoje é vista  como estratégica. A vida de estagiário ficou para trás,  e hoje se posiciona como um  candidato maduro, e que pode se tornar um deputado federal respeitado em 2019.

Com uma mãe que é vista como peça fundamental nas decisões do marido, quando este governava Pernambuco, a ex-primeira dama ainda exerce sua influência na política estadual e é a grande mentora do destino político do seu filho. Renata Campos é sem dúvidas  a fiel depositária do capital político da família.

O PSB tem em João Campos a promessa de um partido mais forte, e nele vai apostar fichas altas. Paulo Câmara sabe que nele está o futuro de um Pernambuco mais unido e mais forte. Em seu instagram ele já escreveu: “Te prepara, 2018, que vai ser carga”.

O sucessor político de Eduardo Campos não faz mistérios. Que seja bem vindo, e que as profecias se cumpram.

 

Ver Postagem