Eutanásia: campeã paralímpica se interna e aguarda data para receber injeção letal

Marieke Vervoort competindo

 

belga Marieke Vervoort, campeã paralímpica em Londres-2012 e medalhista na Rio-2016, passará pelo processo de eutanásia e já está internada, segundo o Telegraph.

A paratleta ficou conhecida no Brasil após os Jogos do Rio, em que assumiu não suportar as fortes dores que sentia por conta de uma tetraplegia progressível que sofre desde os 14 anos, e que não tem cura.

Marieke sofre de uma doença muscular degenerativa que a deixou, desde uma idade muito precoce, em cadeira de rodas. O problema não está na deficiência em si; mas, antes de tudo, no sofrimento que enfrenta a cada dia.

  • Já são mais de 20 anos com esta luta cotidiana, em que percebe como o próprio corpo responde um pouco menos a cada ano que passa. Ela sofre com desmaios, ataques de epilepsia, intensas dores e, em pouco tempo, sabe que deixará de ver. Na verdade, só tem cerca de 20% da visão. Em poucos meses ou anos, a escuridão lhe abraçará por completo.
  • A sua existência é um relato de uma vida condenada à invalidez permanente, à cegueira, à desconexão total daquilo que tanto ama: a vida.
  • “Não quero sofrer mais, isso é muito difícil para mim. A cada dia me deprimo mais e mais. Nunca tive esses sentimentos, mas não posso mais com isso. Nunca experimentei estes sentimentos, estou chorando muito”, relatou a atleta, que se encontra internada no Hospital Universitário de Bruxelas.

Apesar da internação, a injeção letal ainda não tem data marcada. A recomendação para eutanásia, afirma a reportagem, foi feita pelo seu médico.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.