Petrolina perde Rose Andrade secretária de Acessibilidade

rose-andrade-nobre
A secretária de Acessibilidade, Rose Andrade, não resistiu a duas paradas cardíacas sofridas após a cirurgia, e deixa Petrolina em luto por sua morte.
O dia 21 de Novembro de 2016, ficará marcado pela perda da Secretária de Acessibilidade que mais lutou pelos direito das pessoas com deficiência na cidade de Petrolina. Aos 45 anos, Rose Andrade deixa o marido e dois filhos .
De acordo com a filha de Rose, Bruna Andrade, 22 anos, a secretária já havia realizado dois procedimentos cirúrgicos para manter a saúde e reduzir o estômago.

Depois da última cirurgia, Rose Andrade ,lutava contra crises respiratórias e encontrava-se com os pulmões fragilizados. A secretária foi internada na última semana devido as complicações terem se tornado mais agudas gravando seu quadro. Por ordem médica, Rose Andrade foi internada e colocada em coma induzido respirando com a ajuda de aparelhos.

Rose Andrade, sempre foi elogiada pela sua educação e respeito pelos funcionários da prefeitura de Petrolina. Aguerrida e sempre na linha de frente quando o assunto era a Pessoa com deficiência. Rose encarava suas limitações com bom humor e disposição. Vaidosa nunca largava sua maquiagem que era ponto de referencia para as mulheres que esqueciam seus estojos em casa. Rose Andrade trabalhou trabalhou muitos anos na TV Grande Rio, foi produtora de eventos, gerente de hotel Secretária municipal e por fim exercia a função de secretária Executiva de Acessibilidade, na secretaria de Cidadania.

Diante da morte da secretária o prefeito Julio Lossio enviou uma nota.
“É com grande tristeza que lamentamos o falecimento tão precoce da nossa queridíssima amiga Rose Andrade. Petrolina perde uma figura admirável , que dedicou seus últimos anos à luta pelos direitos das Pessoas com Deficiência no município .Desejamos que a família encontre em Deus conforto e muita paz. A coragem com que se empenhava ao trabalho, a força de vontade e a sensibilidade eram marcantes em Rose. Perco uma amiga ,Petrolina perde um uma guerreira dedicada, uma mulher de fibra e de muita temperança. Que Deus na sua bondade nos conforte e nos faça entender que tudo vem D’ele e volta pra Ele” Palavras do Prefeito Julio Lossio.
Cauby Fernandes
Assessoria de Cidadania
21.11.2016

Ver Postagem

Lei Rouanet… Novo ministro diz que fará mudanças

roberto-freire-ministerio-da-culturaO novo ministro da Cultura, Roberto Freire (PPS), que substituiu Marcelo Calero no comando da pasta, afirmou que pretende promover mudanças na Lei Rouanet, de incentivo à cultura. “Somos favoráveis que exista uma política de incentivo cultural, mas não cabe continuidade nos termos em que ela se encontra. Já existe um projeto tramitado no Congresso Nacional que pede a reforma da Lei. Vamos analisar o que ela propõe e discutir para saber se deve ter continuidade ou se devemos elaborar outra ouvindo mais a população”, disse Freire.

O novo ministro afirmou, ainda, que pretende dar continuidade as ações que vinham sendo desenvolvidas por Calero à frente da pasta. “Nossa ideia é de continuidade. Até porque o ministério já havia sofrido intervenção do novo governo após o impeachment. Vamos conversar com ele, manter o que deu certo e mudar o que precisa ser mudado”, observou em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco.

Sobre as denúncias feitas por Calero ao deixar o governo – ele deixou a pasta alegando ter sofrido pressões do ministro Geddel Vieira Lima para aprovar uma obra em Salvador (BA) que havia sido embargada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) – Freire assegurou que o assunto será tratado dentro da normalidade.

“É algo que deverá ser resolvido pelo presidente e a vida continua. Estou assumindo e vou continuar o que se deve e mudar o que precisa. Não significa tranquilidade total, até porque é a exoneração de um ministro, mas vamos ter que dar o grau de normalidade”, destacou. Ele assegurou, também, que manterá as decisões do Iphan.

“Vou manter as decisões do Iphan. Não é nenhuma decisão política. É um órgão que tem a ver com o patrimônio do país e, portanto, suas decisões devem ser respeitadas”, disse.

@ lingua

Ver Postagem

Banco do Brasil e as demissões

images

No momento em que o Brasil enfrenta a maior recessão de sua história, decorrente do golpe parlamentar de 2016, e a equipe econômica vem sendo cobrada a apresentar medidas de estímulo ao crescimento, o Banco do Brasil, sob o comando de Paulo Caffarelli, anuncia o fechamento de 14% de suas agências, o que deve provocar mais de 9 mil demissões; a meta do BB é economizar R$ 750 milhões e a instituição, após esse enxugamento, terá menos agências do que o Bradesco
Na reformulação, 781 agências de um total de 5.430 deixarão de existir. Dos pontos fechados, 379 serão convertidos em postos de atendimentos.Com a reforma, o Banco do Brasil terá menos agências do que o Bradesco, um de seus principais concorrentes.
Além disso, o plano de aposentadoria incentivada pretende reduzir 9.072 postos de trabalho, de um público elegível – que já reúne as condições para se aposentar –de 18 mil funcionários. No fim de setembro, o BB tinha 109.159 empregados.
Para incentivar a adesão, o banco vai oferecer valor correspondente a 12 salários, além de indenização por tempo de serviço, que varia de 1 a 3 salários, dependendo do tempo de empresa. O período de adesão ao plano vai até 9 de dezembro. Depois disso, o banco vai divulgar o impacto financeiro do plano.
O BB também vai oferecer redução de jornada de 8 para 6 horas diárias a 6 mil assessores da direção geral e superintendências, com objetivo de diminuir em 16,25 % o salário médio.

Ver Postagem