Empresário Paulo Morato não foi assassinado diz Policia Civil

Após dois longos meses de investigações, enfim a Polícia Civil de Pernambuco concluiu as investigações sobre a morte do empresário Paulo César Morato,  que estava foragido da Polícia  Federal quando a  Operação Turbulência foi deflagarada. As minucias  do inquérito serão apresentados pela Secretaria de Defesa Social (SDS) em  coletiva à imprensa que será marcada para os  próximos dias. Segundo os investigadores , a  conclusão é  que Morato não fora assassinado, mas que cometeu suicídio, porque estaria atormentado pelo envolvimento nos crimes de corrupção e temia  ser preso. Ele teria ingerido o  veneno para ratos ,chamado de  chumbinho, vindo a falecer  dentro do quarto do motel onde o corpo foi encontrado na cidade de Olinda em Pernambuco.
A delegada Gleide Ângelo, da 9ª Delegacia de Homicídios. A promotora de Justiça Rosangela Padela acompanhou o caso. Ambas só vão se pronunciar sobre o caso na coletiva à imprensa.
Paulo César Morato foi encontrado morto um dia após a Operação Turbulência ser deflagrada pela Polícia Federal em Pernambuco. Ele estava sendo apontado como responsável por uma da empresas fantasmas responsáveis pela compra da aeronave usada pelo ex-governador Eduardo Campos, durante a campanha presidencial. Morato teria chegado sozinho ao motel em Olinda. Não ficou comprovado se outra pessoa esteve no local. A possibilidade de homicídio, ou seja, que alguém tenha envenenado o empresário foi descartada.
Por Cauby Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.